O jeito certo de passar esmalte é começando pelo centro da unha, e depois para as laterais. Para aumentar a durabilidade, passe uma base incolor antes de aplicar o esmalte final. Não passe várias camadas de esmalte na unha, isso facilita a descamação e/ou aparecimento de bolinhas, prejudica a sua secagem, além de deixar a unha com um aspecto “pesado”. Prefira passar duas camadas finas à uma grossa de esmalte.

Se o esmalte estiver “duro” dispense a acetona e utilize algumas gotas de solvente próprio.

A cor que se utiliza na unha é uma escolha muito pessoal, mas podemos dar-lhes algumas dicas na hora e escolher a melhor cor para cada “momento”. Os tons claros ou transparentes (branco, rosados...) emanam naturalidade, já os tons mais escuros (vermelho, negro, marrom) representam ousadia e sedução.

Os tons mais incomuns como os azulados e esverdeados são mais usados em pessoas que optam por um visual mais exótico. Vale também usar a cor do esmalte de acordo com a roupa que se pretende vestir ou algum acessório como, por exemplo, a cor da pedra do colar.

Unhas bem cuidadas e com brilho natural também são sinônimo de feminilidade e beleza. Em Marrocos, por exemplo, o esmalte não é muito utilizado. As Marroquinas conservam o brilho das unhas esfregando-as em uma esponja embebida em vinagre e deixando atuar por algumas horas.

Para suas unhas não ficarem com “bolinhas” que estragam a pintura, deve-se escolher esmaltes de boa qualidade e evitar ficar em locais inapropriados antes do esmalte secar (exemplo: locais com muito vento e areia). O ideal é usar removedor de esmaltes oleosos e não a acetona. Mas se for utilizar a acetona só a use uma vez por semana. Pois esse produto, quando usado em excesso, resseca as unhas, deixando-as frágeis e quebradiças. Deixe-as 6 dias pintadas e 1 sem esmalte. Um descanso de 24 horas ajuda-as a “respirar” melhor.
Cutícula

As cutículas não devem ser retiradas, já que elas são a proteção natural das unhas e impedem a entrada de fungos e bactérias evitando, assim, o aparecimento de infecções e micoses. Às vezes, uma simples tirada de cutícula desencadeia o que os médicos chamam de paroniquia, um processo inflamatório, onde a pele do canto das unhas fica inchada e com pus. O ideal, portanto, é só empurrá-las para dentro.

Quanto mais se tira a cutícula, mais ela cresce. É por isso que quem nunca tirou, normalmente não vai ter cutículas grandes. Mas, o inverso também vale. Se apenas empurrá-las virar um hábito, o crescimento das cutículas irá sofrer um processo de adaptação e elas podem vir a crescer menos.

Lembre-se de desinfetar ou pedir para que quem cuida de suas unhas desinfetar os utensílios que você usa para tratar de suas unhas, principalmente se você os compartilha com outras pessoas. As incômodas peles que vão se soltando na região ao redor das unhas são nada mais do que resultado de ressecamento das cutículas. Se elas aparecerem, apenas as elimine com o uso de um alicate. Tentar arrancá-las pode infeccionar o local e deixá-lo bem dolorido. Evite esse incômodo hidratando muito bem as cutículas, de preferências todas as noites antes de dormir.

Dê semanalmente um banho de imersão às suas unhas, empurrando suavemente a cutícula para trás, para libertar a unha e favorecer o seu crescimento. Use óleo de amêndoas: é excelente para hidratar, amaciar e proteger as cutículas e a pele em volta das unhas.